banner Comitê Intergovernamental para a Promoção do Retorno da Propriedade Cultural (CIPRPC/UNESCO)

Comitê Intergovernamental para a Promoção do Retorno da Propriedade Cultural (CIPRPC/UNESCO)

Repatriação de obras africanas


Criado em 1978 o CIPRPC - Comitê Intergovernamental para Promoção do Retorno da Propriedade Cultural é um sub-órgão da UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, cujo objetivo é mediar devoluções e trocas de artefatos culturais apropriados de seus povos de origem. Na sessão que simularemos propomos discutir parte do problema dos bens étnico culturais apropriados por países europeus durante o processo de colonização do continente africano no século XIX, os quais são mantidos em museus de caráter etnográfico sob a égide de garantia da proteção.

A partir daí buscaremos possibilidades de negociação para repatriação tendo em vista a construção de novos laços intencionais pós coloniais, abordando entre as negociações tensões econômicas, históricas, políticas, sociais e culturais entre as partes negociantes, as quais serão tanto países colonizados quanto seus respectivos colonizadores.

Por fim, queremos traçar panoramas políticos diplomáticos contra paradigmáticos, buscando mediar os conflitos das partes e tentando criar panoramas de cooperação entre instituições africanas e européias. Tematizando ainda mudanças de perspectiva nas relações internacionais pré estabelecidas entre os continentes, descolonização e efeitos da colonização, reparação histórica e justiça reparativa, entendendo sempre os papéis contraditórios e conflitantes que esperamos que sejam cumpridos pelos atores pensando na perspectiva conflituosa pós ocidental.

Beatriz Toro

Beatriz de Oliveira Contrera Toro tem 19 anos, é estudante de ciências sociais na Universidade de São Paulo desde 2018, aspirante a antropóloga. Começou a simular em 2017, durante o colegial, e participou da primeira edição da USPMUN como delegada. Agora, como diretora acadêmica, espera poder testemunhar muitos argumentos bem fundados, debates estimulantes, e resoluções bem formuladas! Curiosidades: é vegetariana, tem uma irmã gêmea, e ama música mais que tudo no mundo (até mais que antropologia).

Guilherme Amorim

Guilherme Amorim tem 20 anos, desde 2017 estuda Ciências Sociais na Universidade de São Paulo e está no caminho de se tornar um antropólogo. Simulou pela primeira vez em 2018, no USPMUN, e desde então o interesse em simulações só cresceu. Como diretor acadêmico, busca disseminar conhecimento e mediar grandes debates que o tema dessa mesa tem capacidade de ter. Curiosidades: Apesar de não ser baiano, passou a vida toda lá antes de vir fazer universidade, e, sendo seu objeto de estudo na graduação o Peru e a China, teve de começar a estudar chinês.

José Mateus Lourenço

José Mateus Lourenço tem 21 anos, estudou um pouco de economia na Universidade de São Paulo, mas largou tudo pra virar sociólogo, estudando Ciências Sociais na mesma universidade desde 2017. Sua história com simulações começou em 2013, durante o colegial, na EMUN (Etapa Model United Nations), e desde então simulou algumas vezes, inclusive na USPmun de 2018. Como diretor acadêmico, pretende proporcionar debates sérios e qualificados acerca de temas relevantes da contemporaneidade. Curiosidades: É cearense de pouco sotaque, mora em São Paulo a quase dez anos, tendo antes vivido em várias outras cidades do país; desenvolve um projeto de estudo sobre o controle social sobre a população LGBT da cidade de São Paulo e têm interesse por línguas semíticas.